PROJETO INTEGR(AR)TE

“O teatro como resposta à não aceitação, discriminação social e exclusão de jovens.”

O Integr(ar)te propõe o desenvolvimento de espaços de criação artística para o empoderamento e a participação cívica de 120 crianças e jovens em situação de exclusão social, sobretudo imigrantes e descendentes de imigrantes, promovendo a ativação de competências sociais e pessoais para a inclusão e prevenção de percursos de insucesso e abandono escolar. O projeto pretende certificar os grupos-alvo através da participação em laboratórios artísticos (teatro, música, dança e artes plásticas), workshops, oficinas e encontros nacionais, utilizando a metodologia de Teatro do Oprimido, Intercultural e Inclusivo.

Empoderamento e inclusão

Espera-se que os jovens fortaleçam a sua autoconsciência, o seu sentido de pertença à comunidade, a sua tolerância.

Aprendizagem socio-emocional

Com ênfase na expressividade comunicacional (linguagem verbal, escrita, dramática e visual), prevenindo comportamentos de risco e promovendo a mudança de atitudes.

Capacitação

Equipam-se 7 agentes educativos com novas ferramentas para a diversidade, potenciando um modelo de parceria e aprendizagem partilhada.

GRUPOS-ALVO

• 60 crianças e jovens dos 2.º e 3.º ciclos (10-14 anos) do AE Francisco de Arruda (Lisboa), dos quais:
   • 40 imigrantes e/ou descendentes de imigrantes e etnias marginalizadas
   • 20 com outras vulnerabilidades socio-económicas
• 60 crianças e jovens dos 2.º e 3.º ciclos (10-14 anos) do AE João da Rosa (Olhão), dos quais:
   • 40 imigrantes e/ou descendentes de imigrantes e etnias marginalizadas
   • 20 com outras vulnerabilidades socio-económicas
• Professores, Educadores, Técnicos e Auxiliares
• Outros elementos da comunidade escolar
• Associações da comunidade